Jurassic Park do Japão

publicado em  

Depois das primeiras pegadas de dinossauros serem encontradas no Japão, a cidade de Kanna, zona rural de Gunma, começou a se promover como o "reino dos dinossauros", a versão japonesa do "Jurassic Park". E assim como uma visita a ilha do filme "Jurassic Park", uma visita em Kanna parece que é igualmente difícil.

Para chegar a Kanna, você irá gastar mais de 3 horas de viagem, partindo de Tóquio, e irá precisar de duas formas de transporte (trem bala e ônibus). A cidade fica em uma região montanhosa, com estradas sinuosas e curvas que podem deixar confusos até mesmo viajantes mais experientes. No entanto, uma vez lá, os visitantes irão encontrar o museu do dinossauro.

O centro inaugurado em 1987, dois anos após a descoberta das pegadas, vem atraindo muitos Otakus e crianças em suas exposições de dinossauros.

Yuji Takakuwa, um membro da sociedade japonesa de paleontologia, disse: "Exposições de dinossauro, juntamente com shows de insetos, são reconhecidos como eventos que atraem um grande público".

Makoto Manabe, um paleontólogo, disse que a popularidade dos dinossauros no Japão é mais disseminada do que nos Estados Unidos ou Grã-Bretanha, onde ele passou anos estudando. O cientista também observa que é só no Japão que os adultos são viciados em shows de dinossauros.

A ciência natural sempre foi popular entre as crianças do Japão, graças à sua representação na cultura pop. 
O ícone "Godzilla" inspirou muitos paleontólogos de hoje, disse Manabe.

O anime "Doraemon" tem um episódio muito popular onde aparece um dinossauro encontrado na prefeitura de Fukushima em 1973. O episódio lançado em mangá em 1975 (Dinossauro de Nobita) já ganhou dois filmes.

Manabe, que dá palestras sobre dinossauros há 30 anos, tem observado como os pais das crianças se transformam em fãs de dinossauros: "No início, as mães vêm para acompanhar os filhos. Então elas retornam com seus filhos quando eles se tornam adolescentes. Depois que seus filhos perdem o interesse em dinossauros, elas vêm sozinhas".


Comentários