Sobre Kyary Pamyu Pamyu

publicado em  

No mês passado, uma multidão que mais parecia ter saído de um sonho confuso, ou da casa da Barbie, se amontoava no Laforet Harajuku, um dos shoppings mais luxuosos de Tóquio. Essa multidão usava brincos enormes, anéis em forma de globo ocular, coleiras pontiagudas, e rosa e muito rosa. Eles estavam reunidos para assistir Kyary Pamyu Pamyu, um novo rosto da música J-pop, cujo álbum de estreia, Pamyu Pamyu Revolution, estava acabando de chegar às lojas. Ela surgiu vestida como seus fãs, com um laço gigante na cabeça e um vestido desenhado como um cubo mágico.

Essa miscelânea de imagens "cute e assustadoramente coloridas" ajudaram a transformar Kyary (nome real: Kiriko Takemura) em uma das melhores e mais jovens estrelas da música pop do Japão, além de um viral na internet mundial.

Graças ao seu senso de moda e vídeos surreais, seu primeiro álbum estreou na 2ª posição da Oricon Japan. Seu rosto se tornou inevitável, só de entrar em uma loja de conveniência no Japão, já podemos vê-lo em umas cinco capas de revistas. Ela também está vendendo nos Estados Unidos, recentemente no topo das paradas do iTunes, e seus vídeos geram comentários em toda web, gerando opiniões de como: "O Japão é estranho".

Seu sucesso americano se resulta, em parte, a fascinação do Ocidente com "o Japão estranho". Por mais de uma década, a mídia ocidental ri e destaca as "estranhezas" nipônicas: "Olhe que bizarro essas coisas do Japão". Porém, agora artistas como Kyary estão lucrando com a curiosidade estrangeira.

O vídeo do primeiro single de Kyary "Pon Pon Pon", que se tornou muito popular no ano passado, parece um pouco desconcertante. Kyary está numa sala de brinquedos cercada por bugigangas, de repente tudo se explode em cores surreais... O vídeo tem mais de 27 milhões de visualizações, mas a maioria dos comentários ignora a música e fala sobre a bizarrice do clipe, gerando comentários como: "É isso que você vê depois que pega o Japão e o transforma em um pó fino e cheira tudo de uma vez".

O vídeo "Pon Pon Pon", porém, não é o resultado de uma "viagem", e sim um tributo à moda de Karajuku. A variedade de lixos no fundo reflete ao princípio da moda, que se destacava por ter vários itens sem compatibilidade. Mesmo o "pão" que aparece do nada no clipe é um trocadilho. "Pon" é a palavra usada para descrever o som de palmas, e soa parecido com "pan", que significa pão. A moda de Harajuku não é comum em todo Japão, mas a maioria das pessoas a conhece, ou seja, ao assistir ao clipe elas sabem do que se trata. Os Ocidentais, porém, apenas o vê como algo bizarro e exótico.

Com o sucesso desse primeiro clipe, Kyary ao invés de reduzir, aumentou a ideia de confundir os ocidentais. Seu mais novo clipe "Candy Candy" fez muitos se perguntarem: por que ela está correndo com um pão pendurado na boca, lutando com uma versão arrepiante de si mesma ou usando uma metralhadora em uma cebola gigante? Na verdade as cenas retratam animes antigos, especialmente do gênero "magical girls". Onde os estrangeiros viram como "Japão estranho", os japoneses viram como algo nostálgico.

Seu concerto em Laforet terminou com uma cena que iria confundir ainda mais os Ocidentais: Depois do show, ela julgou um concurso de fantasias entre vários fãs vestidos como ela. Os concorrentes estavam aparentemente nervosos em torno de Kyary, e alguns ficaram em silêncio, enquanto o vencedor chorava. Kyary pode ser um meme no Ocidente, mas no Japão ela é uma estrela pop!


Comentários