Crayon Shin-chan

publicado em  


Yoshito Usui (1958 - 2009) iniciou em 1990 o seu maior projeto: o mangá Crayon Shin-chan.  Infelizmente em setembro de 2009 seu corpo foi encontrado num fundo de um penhasco do monte Arafune em Gunma (cidade japonesa). Uma das formas de homenageá-lo é prestigiando seu excelente trabalho com a criação de Shin e seus amigos. Esta, aliás, que tenho apego enorme.

A SÉRIE

Shinnosuke Nohara, o Shin-chan, é um pirralho de apenas 5 anos... Mas nem de longe lembra uma criança! Sua linguagem é de adulto, ele diz o que lhe vem à cabeça, nunca obedece aos pais, e "adora" perturbar os outros! Hora com humor escachado, hora muito sarcástico, quando Shin abre a boca prepare-se para morrer de rir! Adora ver mulheres bonitas (principalmente de biquíni), em diversos episódios ele já lançou cantadas e pediu beijo as meninas.

Posso destacar mais duas coisas que Shin adora (além de mulheres e encher a paciência dos outros): Nas horas mais impróprias e imprevistas, ele decide abaixar as calças e fazer uma das suas marcas registradas "A Dança da Bundinha Peladinha" (este é um clássico do Shin, que ele inclusive usa para tentar conquistar as moças bonitas e para irritar sua mãe!). Este garoto não perde 1 episódio de sua série de TV preferida, o Mask Muchacho (Action Kamen no original), o programa que é uma espécie de paródia de heróis como Kamen Rider é a grande febre entre as crianças do universo do anime, e Shin possui todos os produtos do herói.

Não poderia deixar de falar sobre a família do Shin. O que seria uma matéria sobre Crayon Shin-chan sem falar da Mitsy!? Shin é o primeiro filho de um típico casal japonês, a mãe Mitsy, uma dona de casa comum, e o pai Hiroshi Nohara, um executivo bem distraído. As confusões entre Shin e sua mãe é uma das partes mais hilárias do anime. Mitsy tenta ser uma mulher comum, gosta de parar pra fofocar, gosta de ser bem vista pelos vizinhos... Porém, com um filho como o Shin, que vive arrumando confusão, não tem como! No decorrer da série ela acaba indo tirar sua carteira de motorista, onde inclusive seu filho faz novamente questão de atrapalhá-la. Mas o que fica bem claro, é o amor que ela tem por Shin, posso citar como exemplo o episódio em que ela esquece seu filho dentro do trem (sim, ela esqueceu o Shin no trem - foi hilário), onde ela se demonstrou muita preocupada e ao encontrá-lo protagonizaram uma cena muito bonita.
Algumas temporadas depois, Shin ganha uma irmãzinha, a Daize... Agora o medo dos pais é que ela se influencie pelos maus modos do irmão.

Na história, Shin estuda na Classe dos Girassóis, na Escola Futaba. Dentre os vários alunos da escola, podemos destacar: Nenê, garota que fica bastante entre Shin e seus amigos; Max, melhor amigo de Shin, porém um carinha muito medroso; Cosmo, o garoto prodígio da turma, ele é a "vitíma' preferida do nosso protagonista; Bo, um garoto cabeça-oca que vive com o nariz escorrendo. Não poderia esquecer a Professora, que vive sofrendo com as armações de Shin.

TRAJETÓRIA NO JAPÃO

Yoshito Usui iniciou a publicação de Crayon Shin-chan em 1990, na revista semanal japonesa Mangá Action. A série logo conseguiu atrair o público japonês, até porque as engraçadas aventuras do cotidiano de um garoto de 5 anos boca suja, encrenqueiro e ainda por cima mulherengo, são de matar qualquer um de rir.

Apenas 2 anos após a primeira aparição de Shin no Japão, a série foi adaptada para TV, iniciando no dia 13 de abril de 1992 na TV Asahi. Porém ela ganhou certa "suavizada” para ser transmitida na TV. A prova do sucesso da mesma é que até hoje as histórias de Shin são exibidas pela emissora, sendo uma das maiores audiências do canal. E constantemente fica entre os 5 animes mais assistidos do Japão

TRAJETÓRIA NO BRASIL

Crayon Shin-chan chegou ao Brasil em 2003, exibido inicialmente pelo extinto canal Fox Kids, a versão que chegou até nós foi adaptada pelos americanos, repleta de cortes e censuras. Foi aí que conheci a série, lembro que o anime era exibido às 22:30, de segunda a sexta no bloco Invasão Anime. Porém, logo o canal retirou Shin de sua programação, o considerando impróprio para seu público alvo. Felizmente em 2005 o canal pago Animax iniciou a exibição da série, porém a mesma versão com cortes e censura. Com a mudança do Animax para Sony Spin, a série parou de ser exibida no Brasil.

Assim que a série estreou na Fox Kids, em 2003, a Panini levou as bancas o mangá que deu origem a animação. Provavelmente com o intuito de atingir o público infantil, pensando que assim que as crianças vissem o anime na TV, correriam às bancas para comprar. Assim como anime, o mangá mescla bem esse traço meio infantil, com um humor mais adulto, algo meio nonsense. Infelizmente a editora não obteve tanto êxito com sua publicação, o cancelando pouco tempo depois.

Na versão nacional do mangá, houve também um bom trabalho na edição da linguagem e diálogos. Eles adaptaram muita coisa para o português, até porque existem muitas referências ao cotidiano japonês que não iríamos compreender, e assim ficar sem entender a piada. O principal motivo para o cancelamento da publicação foi o número de vendas, que nem de perto atingiram o esperado pela editora.

O pior de tudo neste caso do mangá foi a Panini não ter dado nenhuma satisfação aos leitores, simplesmente parou de publicar e nem sequer comunicou... Como vocês veem, não é de hoje a falta de respeito das empresas com as pessoas que acompanham algum trabalho que elas publicam ou exibem.

CURIOSIDADES

Crayon Shin-chan é tido no Japão como o "terror dos pais", isto porque o garoto é visto como mal exemplo as crianças. O anime é bem comparado aos Simpsons, talvez por suas piadas serem voltadas a um público mais adulto, porém mais vistas pelo público infantil.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Meu primeiro contato com Shin-chan não foi pela TV... E sim por um jogo de Super Nintendo. Lembro que eu tinha um jogo de Crayon Shin-chan por volta dos anos 99/2000, adorava jogá-lo, porém jamais imaginaria que se tratava de um desenho de TV. Outra coisa que nunca poderei esquecer, é que no jogo ele fazia a "Dança da Bundinha Peladinha" e se transformava no Mask Muchacho.

Crayon Shin-chan com certeza é um dos mais queridos animes, tanto pelos japoneses que já estão acostumados a assistirem a quase 20 anos, quanto por pessoas como eu, que morrem de rir com os episódios dublados. Com a morte do criador, Yoshito Usui, em 2009 o mangá foi cancelado, porém o anime continuou sendo produzido, até porque a muito tempo havia sido desvinculado da história do mangá, com histórias exclusivas para a televisão. Além disso, a animação é uma das maiores audiências, no quesito anime, no país.
Comentários