Especial: Doraemon - parte 1

publicado em  

Nós, brasileiros fãs de animes, temos o costume de assistir apenas séries voltadas para colegiais ou com alguma temática mais adulta. Isso se tornou uma espécie de "lei" para os otakus tupiniquins. E os animes infantis onde ficam? Na verdade não são nem um pouco valorizados por aqui, nesse meio da internet (=/), e mesmo que alguém quisesse assistir, nem se fosse como curiosidade, seria praticamente impossível encontrar uma versão com legendas em português-br (porque será que os Fansubers odeiam tanto animes infantis? ¬¬). Um exemplo disto é Doraemon, o anime mais popular do Japão que sobrevive a 30 anos na tv. Acredito que muitos conheçam esta série por nome, porém são poucos que chegaram a assistir um episódio desta série!
Vindo do século 22, Doraemon é uma espécie de gato-robô azul. Ele viaja no tempo para cumprir uma missão: evitar que o garoto Nobita fique pobre e se case com a irmã feia de um de seus amigos! Ele tem uma espécie de bolsa na sua barriga, dela saem as coisas mais bizarras e incríveis. Máquinas futurísticas, automóveis ultramodernos, e eletrodomésticos de muli utilidades! Na verdade essa bolsa não é mágica, nem alguma coisa do tipo (não é como a maleta do Gato Félix xD), na verdade ela é uma espécie de portal para a 4ª dimensão, ligando Doraemon ao século 22. Doraemon não tem orelhas, isso porque estas foram roídas por um rato, pouco depois de sua montagem. Ele chorou tanto por não ter orelhas que acabou ficando azul!
A grande maioria dos episódios de Doraemon são comédias com lições de morais a respeito de valores como: honestidade, coragem, família, respeito aos outros, perseverança, etc. Apesar de tocar em assuntos sérios, os episódios de Doraemon são em si muito leves e leves e divertidos... Alguns até que são meio bobinhos, mas são muito gostosos de assistir.
O anime já possui muito mais que mil episódios, além disso, todo ano sai um filme novo de Doraemon nos cinemas japoneses. A série é exibida pela TV Asahi e é uma das maiores audiências da terra do sol nascente.
Comentários