Especial: Medabots - parte 2

publicado em  

Exibido no Brasil em meados de 2002 pela extinta Fox Kids, o anime fez um enorme sucesso na tv paga, onde era exibido junto a Digimon no bloco Invasão Anime. Logo as revistas especializadas em conteúdo anime, que na época era mania entre os fãs de Dragon Ball Z, Pokémon e Digimon (como Ultra Jovem, Anime Do, etc.), começaram a fazer matérias sobre os robôs que batalhavam entre si. Conheci Medabots na Fox Kids, na época era exibido por volta das 19:00, logo amigos na escola também começaram a comentar sobre a série e rapidamente me tornei fã de Ikki e Metabee (xD).
Medabot é o nome dado aos robôs do anime, eles são compostos basicamente por três partes: o tinpet, a armadura e a medalha. O tinpet é uma espécie de esqueleto do Medabot, podemos definir como o chassi do mesmo. A armadura são as medapeças, que são as partes que dão forma ao Medabot, as medapeças são divididas em: Braços (que são eficientes para o ataque, geralmente nos braços existe algum tipo de arma, canhão, espada, etc.), Pernas (determinam a agilidade do Medabot, pode ser humanóide, ou de alguma outra forma), e o Torso (dedicada a defesa do medabot, é formada pela cabeça e o peito). A última parte é a Medalha, porém a mais essencial. Ela é que dará vida ao robô, muitos definem como cérebro, ou inteligência artificial... porém prefiro defini-la como a Alma do Medabot, já que no anime os Medabots tem sentimentos e atitudes próprias.
Os Medabots foram criados pela Corporação Medabot, o desenho do robô muda conforme surgem novas tecnologias, porém a Medalha é mais antiga do que se pensa. Na verdade as que deram origem as Medalhas vendidas nas lojas, são as chamadas Medalhas Raras, estas encontradas em escavações de ruínas antigas. A Corporação utiliza uma Medalha Rara para criar cópias a serem vendidas. A que dá vida ao Metabee, é uma Medalha Rara.
Comentários