Retorno Triunfal dos japoneses no SBT

publicado em  

O velho homem do golpe do Baú não resistiu e cedeu para as animações japonesas, depois de anos fora, sem nunca ter passado sequer na frente da porta da emissora, os animes voltam com tudo, dando banhos de audiência com o mais novo fenômeno da criançada (e de alguns adultos também, como eu claro ^^), Naruto.

Já esta sendo febre em todos os países em que esta sendo exibido, mesmo antes de ser televisionado no Brasil a série já havia conquistado milhares de fãs na Internet. Por esse motivo a vinda de Naruto é uma grande polêmica, muitos acostumados a ver a série original e sem cortes ficaram revoltados com a versão norte americana (a exibida no Brasil), sem aberturas e encerramentos e vários cortes de cenas "violentas", mas isso já é uma velha história que nem vale mais a pena discutir, se quer ver anime não só na TV aberta brasileira como na paga (engraçado pagar pra ver retaliações) tem que ver com cortes ¬¬'. É inevitável.

Naruto pode estar sendo um grande sucesso, mas não foi ele que abriu as portas nessa nova fase do SBT. Um anime foi exibido timidamente em meados de 2006 nas manhãs de sábado, o "Let's Go!" (que por sinal havia especulações de que seria exibido na Rede TV!, mas a emissora não consegui comprar) série de grande repercussão no Japão, porem não decolou no Brasil e não foram exibidos nem metade dos 153 episódios, a série foi pra grade diariamente, mas em pouco tempo saiu.
Honey Honey

Mas para entender um pouco mais do histórico do SBT com os animes vamos voltar para 1986, quando começou a ser exibido "Honey Honey". A série é baseada num mangá de 1966 criado por Hideko Mizuno, a animação foi feita em 1981 e contou com 29 episódios. Pra quem gosta de pancadaria (quem não gosta?) a série não é uma opção, mas tem um enredo legal mesmo sendo infantil: a gata de uma órfã chamada Honey Honey (no Brasil Favo de Mel [?]) come a jóia Sorriso do Amazonas da Princesa Flora (que gracinha [Hebe]). Um clássico.

O Pequeno Príncipe

Esse é pra dá um nó na garganta só de lembrar (pelo menos em mim, minha mãe adorava). O anime foi criado em 1978, contando com 35 episódios exibidos na TV Asahi japonesa (a que passa Shin – Chan). É baseado no livro francês "Le petit Prince", de 1944, um clássico e um fenômeno da literatura mundial. A série chegou no Brasil em 1984 pelo SBT, fazendo muito sucesso no programa do tosco do Sérgio Malandro (Bilu tetéia¬¬). Um garoto mora no planeta B612 com uma pequena rosa que cria, ele viaja pelo universo capturando cometas e ajudando novos amigos com conflitos pessoais, apesar de se assemelhar com historias infantis, O Pequeno Príncipe tem um contexto filosófico e dramático. A série parou de ser exibida no começo dos anos 90, mas em 1994 voltou, porem não com o mesmo gás e acabou sendo encerrada, infelizmente.

Guerreiras Mágicas de Rayerth

Quem não se lembra das "Guerreiras Mágicas de Rayearth" (genérico de Sailor Moon)? Três garotas que receberam o poder de Zefir para poder resgatar a Princesa Esmeralda, raptada pelo sacerdote Zagard. Numa mistura de garotas colegiais com robôs gigantes (Mashins), a série conquistou muitos fãs, contando com 29 episódios e 3 especiais. O SBT exibiu nas suas manhas em meados de 1995, lembrando que o anime foi lançado no Japão em 1994 e só foi termina no próximo ano, quer dizer que enquanto no Brasil exibia a série até então inédita, no Japão também estava sendo exibida a nova temporada, praticamente simultâneo.
Fly

"Fly, Fly, Fly, quer a paz que o inimigo destrói" (que nostálgico!). Foi exibido em 1991 no Japão, depois de alguns anos veio para o Brasil. Baseado no mangá "Dragon Quest: Dai no Daiboken", mas no Brasil popularmente conhecido como "Fly: O pequeno guerreiro", que foi baseado no jogo de RPG muito famoso na época. O anime contou com 46 episódios encurtados, pois não repercutiu muito como o mangá, mas mesmo assim fez história no Brasil.

Dragon Ball

O SBT não se sustentou com animes pouco conhecidos, "Dragon Ball" um dos animes de mais peso e sucesso no mundo passou por lá, a primeira fase do Goku criança teve sua estréia em 1996 sendo exibido todos dias possíveis. Devo confessar que não gostava muito do anime, só fui me interessar por Dragon Ball Z, a continuidade. Porem DB só foi exibido até o episodio 60 (A luta com Taopaipai) e a série tem 153 episódios, não foi muito repercutido, mas com a chegada de DBZ no Cartoon, na Band e logo depois na Globo, o anime ganhou forças e hoje é considerado um Deus.

Street fighter II Victory

Com o sucesso de jogos e brinquedos é normal que muitos produtos virem séries animadas, é o caso de "Street Fighter II Victory", anime produzido em 1995 no Japão. Não é baseado em nenhum mangá, é puro comercial mesmo (como muitos por ai). Teve 29 episódios contando a historia de dois personagens dos jogos de pancadaria, Ryu e Ken e suas aventuras pelo mundo. A série até então seria exclusividade no Japão, porém a distribuidora Columbia Pictures a trouxe para o Brasil e a Máster Sound fez o trabalho de dublá-la e o SBT de comprá-la. O anime é bacana, mas não empolgante. Contou com um filme também, que quando exibido no cinema fez um enorme sucesso (tanto que surgiu Fatal Fury na mesma época para desbancar o sucesso, mas foi fracassado) e foi exibido pelo SBT no bom e velho Cinema em Casa, e recentemente a Record exibiu e provavelmente ainda deve ter os direitos sobre ele.

Esse foi um pequeno resumo dos enlatados japoneses que passaram na TV do tio Silvio Santos (Quem quer dinheiro!!!). Hoje o SBT se sustenta com muitas produções importadas, séries, filmes e desenhos para se reergue da crise que esta passando (graças ao Bispo e ao Pica-Pau), seria uma boa se eles apostassem mais nos animes, como fizeram com Naruto e esta dando certo (claro que daria certo, dãhr), e os novos episódios serão exibidos esse ano, já estão em faze de finalização da dublagem, se caso a Globo não crescer os olhos no anime como fez com DBZ, a nova temporada de Naruto ainda é do SBT.

Quem sabe Chaves não fique pra trás e os animes tomem o seu lugar (hahaha é uma piada entenderam?).
Comentários
MIZU  

Street Fighter passava bem de madrugada não era?
Lembro que eu era bem pequena quando assisti pela primeira vez (devia ter uns quatro anos) e comecei a chorar, pq era muito violento (pra uma criança de 4 anos u-u') (acho que passava sem muitos cortes, pois lembro beem do sangue e coisas do tipo) Fiquei com muito medo =p.

Anônimo  

Quem sabe Chaves não fique pra trás e os animes tomem o seu lugar (hahaha é uma piada entenderam?).(eu n entendi

Henrique da Silva Dezidério  

Bons tempos aqueles... Eu lembro que eu acordava bem cedo pra assistir Guerreiras Mágicas no programa da Eliana (Bom Dia & cia quando não tinha a rodinha do Playstation, playstation nem Maisa e aquelas crianças enjoadas). Lembro do Fly, Fly, Fly, Dragon Ball com a antiga dublagem (quando DB passou na Globo e, dessa vez, a série inteira, colocaram os mesmos dubladores de DBZ. Que pena que o SBT não passou as melhores partes de Dragon Ball como Tenshinhan, o 22º torneio, Piccolo Daimao e o 23º torneio... essas partes eram iguaizinhas a DBZ no sentido de lutas, um inimigo poderoso, Goku treinava e acabava com td mundo), eu não gostava muito do Street Fighter, era uma história muito complexa pra uma criança de sete anos, mas eram animes bem melhores que os que passam hoje. Eu admito: detesto Naruto!

Anônimo  

I like use viagra, but this no good in my life, so viagra no good.